fbpx

Quatro coisas a dizer a Deus para suportar o confinamento

As provações são indissociáveis da existência humana. Mas, todas as vezes que precisamos passar por elas, nos sentimos como se a vida estivesse nos traindo. Durante esses momentos dolorosos, é possível dizer a Deus algo diferente de “Eloi, Eloi, lema sabactani” (Mc 15, 34)?

Abade Pierre Descouvemont / Aleteia | Terça, 31 Março 2020 09:25
Quatro coisas a dizer a Deus para suportar o confinamento

Quando um episódio doloroso da nossa vida termina bem, dizemos com satisfação que o evento foi providencial. É o caso de um homem que torce o pulso e que, no hospital, vai ser tratado em um departamento onde trabalha uma enfermeira encantadora que se torna futuramente sua esposa.

Nesse caso, nem é necessário ter fé para reconhecer nessa feliz coincidência uma piscadela do céu. Mas o que pensar e especialmente o que fazer quando os acontecimentos não terminam bem? Será que é possível dizer em todas as circunstâncias, a expressão que dizia Santa Teresinha: “Tudo é graça!”?

Passagens bíblicas que nos ajudam a atravessar as provações

Quando ocorre algo sério, é completamente normal, a princípio, revoltar-se contra o mal que se passou. Deus não gosta de ver seus filhos por causa de um câncer ou porque uma família se desfez. Ele odeia o mal e nunca o deseja!

Mas quando o mal se faz presente, é necessário, o mais rápido possível, lembrar-se dos versículos da Bíblia que podem ajudar a permanecer em paz durante uma provação. Por exemplo: “Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem dos que amam a Deus” (Rom 8; 28), ou: “Deus é fiel e não permitirá que sejam tentados acima das forças que vocês têm” (1 Cor 10, 13).

E por que não dizer a Deus:

“Escuto o Senhor me falando quando leio esses versículos, e peço ao Espírito Santo que os faça tocar o fundo do meu coração. Eu reflito sobre eles, os transformo em palavras de vida e, pouco a pouco, em vez de ficar obcecado com a minha decepção ou minha raiva, eu os repito junto com Jesus e como ele eu digo: “Pai, não seja o que eu quero, mas o que tu queres” (Mc 14, 36)”.

Medite com a vida dos santos

Também é interessante reler as quatro páginas que o Catecismo da Igreja Católica dedica ao mistério da Providência (§ 302-314), para lembrar a maneira pela qual todos os santos aceitam seus contratempos e fracassos.

Essas meditações podem nos ajudar a falar assim ao Senhor:

“Pai, eu realmente não sei por que tu permites essa provação em minha vida, por que tu não pediste ao meu anjo da guarda que me impedisse de cometer esse erro, de sofrer este acidente, mas acredito que é para o meu bem! Um bem que provavelmente só poderei compreender no céu! “

Agradeça ao Senhor

Mesmo que palavras de agradecimento não venham espontaneamente, é bom dizer a Deus:

“Senhor, eu te agradeço por me julgar digno de carregar esta cruz, para salvar o mundo. Como São Paulo eu te direi: “Agora, eu me alegro de sofrer por vocês, pois vou completando em minha carne o que falta nas tribulações de Cristo, a favor do seu corpo, que é a Igreja” (Cl 1, 24). Tentarei nunca esquecer o que o Cura d’Ars costumava dizer aos seus paroquianos: “Todo mundo tem sua cruz. Se conhecêssemos todos os méritos e pudéssemos aceitá-los, nós os roubaríamos uns dos outros! “

Peça ajuda para passar pelas provações

Mas, acima de tudo, peça ajuda a Ele:

“Senhor, dai-me teu Espírito Santo para que eu possa reagir a todos os desígnios impenetráveis de tua providência, unindo-me ao “sim” que tu nunca paraste de dizer, o que agrada muito ao Pai e que salva o mundo!”.