Diocese de Campo Limpo realiza sua 27ª Assembleia Diocesana em valorização aos leigos

Para celebrar o Ano do Laicato a 27ª Assembleia Diocesana de Campo Limpo trouxe pela primeira vez um leigo como palestrante principal.

Redação | Segunda, 05 Março 2018 14:41
Diocese de Campo Limpo realiza sua 27ª Assembleia Diocesana em valorização aos leigos Mayara Lamenha

Em um sábado bastante ensolarado (03/03), aconteceu a 27ª Assembleia Diocesana de Campo Limpo, na Paróquia São Bento do Morumbi que fica nas dependências do Colégio Santo Américo, zona sul da capital. Cerca de 700 pessoas, entre sacerdotes, religiosos, diáconos, seminaristas e leigos chegaram antes das 7 da manhã para participar das atividades programadas.

Um café da manhã servido antes da abertura do evento serviu de confraternização inicial. A Assembleia Diocesana é também uma oportunidade de paroquianos de igrejas vizinhas se encontrarem, assim como encontro entre sacerdotes e a oportunidade de discutir e aprofundar temas importantes da igreja.

A equipe de teatro da paróquia Cristo Rei fez na abertura uma encenação que antecipou em forma lúdica os assuntos que foram abordados durante toda a Assembleia.

Na entrada da igreja sacolas, biodegradáveis, com um vasto material, foram distribuídas para todos os participantes, além do livreto do 6º plano de evangelização, continha ainda folders e encartes de todas as formações previstas, além da programação do dia e folha para a avaliação do evento.

A Assembleia deste ano teve como tema: Formação dos cristãos leigos e leigas para a participação na vida social e política, como um processo de iniciação à vida cristã e lema: Sal da Terra e luz no mundo (CF. MT 5, 13-14), em celebração ao Ano do Laicato, que teve a abertura na festa de Cristo Rei. A programação foi totalmente voltada aos leigos e leigas e baseada nos documentos 105 (Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade) e 107 (Iniciação à vida cristã: itinerário pra formar discípulos missionários)  da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e teve como palestrante principal o senhor Laudelino Augusto, leigo dedicado e representante da Comissão do Ano do Laicato da CNBB.

Saudando os participantes, o diácono permanente Divino Damasceno, forania São Luiz - Capão Redondo rezou junto com toda a assembleia pedindo a Deus que abençoasse o dia e fizesse com que o aproveitamento fosse completo.

Em um discurso de acolhimento Dom Mauro Lorian, OSB, pároco da igreja São Bento, anfitriã do encontro, agradeceu a oportunidade de receber a assembleia mais um vez e encerrando suas boas vindas disse que “Acolher bem é um dos requisitos primários”.

Em seguida foi a vez do bispo diocesano, Dom Luiz Antonio Guedes, se pronunciar. Em seu breve discurso e citando as palavras do Salmo 133 (132) “Como é bom, como é agradável habitar todos juntos, como irmãos”, agradeceu a presença de todos e adesão numerosa. Explicou em seguida sobre a importância da participação dos leigos na igreja, “a palavra leigo significa ser membro do povo, e não é qualquer povo, mas o povo de Deus que é cidadão e construtor do Reino” e ainda exortou a todos os batizados a exercerem o apostolado adquirido a partir do Batismo, “Ninguém pode ser nada na igreja, exercer nenhum ofício se não for primeiramente leigo, que é o alicerce da igreja e todos nós que nascemos para Cristo no Batismo e confirmados na Crisma somos iluminados pela palavra que é Jesus Cristo e alimentados na missão pela Santíssima Eucaristia, por tanto todos os fies leigos tem direito de fazer apostolado de ser Apóstolo, não por um mandato que lhe seja dado, mas pelo seu mergulho no Cristo”.

Padre Rodolfo Marinho, assessor especial para o ano do Laicato da diocese, fez uma rápida introdução sobre os objetivos do Ano do Laicato e sobre como os documentos 105 e 107 norteiam este ano, chamando em seguida o senhor Laudelino Augusto, Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB e membro da comissão especial para o Ano do Laicato para aprofundar o assunto.

Laudelino iniciou seu discurso agradecendo pelo convite e se dizendo muito feliz em participar desta 27ª Assembleia Diocesana. Com a ajuda de slides projetados de maneira que toda a assembleia conseguisse acompanhar Laudelino falou com muita propriedade sobre o papel do leigo dentro e fora da igreja, “É preciso rezar, mas também agir. Adorar Jesus na Eucaristia, mas também enxergar o Cristo que está no irmão nas ruas, nos desfavorecidos”.

Lembrou a necessidade de formar, capacitar e garantir que existam cristãos leigos nas ciências, nas artes, nas comunicações, na política e na participação da vida local nos bairros, assumindo o compromisso de cuidar da sociedade da qual se faz parte, se envolvendo nas políticas publicas e exigindo os direitos. Ainda seguindo Laudelino, 90% dos católicos praticantes apenas participam da missa, sem se envolverem nos problemas culturais e sociais que atingem sua realidade paroquial. Ao concluir o convidado faz questão de frisar, “É Deus quem nos chama e nos envia, somos chamados a ser testemunhas do Reino de Deus, Cristo  - a cabeça -, está conosco e basta olhar para Maria, para entender o laicato”.

Antes de um rápido intervalo, padre Marcos Patrício, coordenador diocesano de pastoral, apresentou a Pastoral Fé e Política, coordenada atualmente pelo padre Alfredo da Veiga, que convidou todos a participarem da conscientização dos fieis para a importância desta pastoral e da importância de assumir esse compromisso na sociedade. “A corrupção contamina os honestos como um câncer, aumenta a burocracia, dificulta o acesso aos serviços públicos e aumenta a pobreza e a miséria, é preciso que todos nós nos envolvamos na política como uma forma de caridade”, comentou padre Alfredo.

Este ano, na segunda parte da assembleia, todos foram convidados a participar de uma mesa redonda composta pelos padres Francisco Glênio de Almeida (moderador), Rodolfo Marinho (assessor para o ano do laicato), Alfredo da Veiga (Coordenador Pastoral Fé e Política) e pelo convidado especial Laudelino Augusto, fazendo perguntas. As fichas foram depositadas em urnas antes do intervalo e os questionamentos poderiam estar direcionados para qualquer um dos palestrantes e o este foi um dos pontos altos da assembleia. Mais de uma dúzia de perguntas foram respondidas e praticamente todos os assuntos tratados anteriormente foram aprofundados.

Antes do momento final, padre Darci apresentou e pediu a participação de todos na pastoral da Ecologia e Meio Ambiente, estavam com ele também o engenheiro ambiental e sanitarista Adilson e o coordenador da pastoral na diocese, Diego que rapidamente falaram um pouco sobre o tema e incentivaram a assembleia a ajudar na conscientização da preservação, “o que é da natureza não tem fronteiras, temos o direito de usufruir, mas também de cuidar e preservar, não só para as próximas gerações, mas para nós hoje”.

Depois dos agradecimentos padre Marcos convidou a todos para um momento de oração e lembrando do lema, Sal na terra e Luz no Mundo, e como forma de simbolizar que todos os presentes são luz nos arredores onde vivem, ofereceu a chama de uma mini vela acessa no círio pascal pelos padres presentes e homenageou todos os fies leigos e leigas com um certificado de reconhecimento pela dedicação e atuação na construção do Reino.

IMG8505
IMG8467
IMG8483
IMG8486
IMG8496
IMG8535
IMG8728
IMG8542
IMG8603
IMG8552
IMG8598
IMG8622
IMG8610
IMG8621
IMG8659
IMG8664
IMG8666
IMG8679
IMG8682
IMG8689
IMG8723
IMG8724
IMG8730
IMG8693
IMG8719