Paróquia Santa Edwiges celebra dedicação da Igreja e do seu altar

Redação | Terça, 09 Abril 2019 15:13
Paróquia Santa Edwiges celebra dedicação da Igreja e do seu altar Arquivo Paroquial

Quando uma igreja é construída requer a celebração de um rito solene, na qual se implora a benção de Deus para que a construção seja sinal visível para os fieis de uma casa de adoração ao Senhor.

Na manhã dia 17 de março, a Paróquia Santa Edwirges se alegrou com a celebração do rito de Dedicação da Igreja e do Altar presidida pelo Bispo Diocesano Dom Luiz Antônio Guedes.

A paróquia passou por uma longa reforma, conforme mencionou em seu discurso o pároco, Padre Adilson Carraro, LC. Na acolhida, Dom Luiz lembrou o simbolismo da dedicação da igreja e do altar e mencionou que por ser realizada uma única vez, torna-se festa paroquial, “que deve ser celebrada anualmente”.

Todo o rito tem um simbolismo muito forte com a vida cristã. Aspergir a água benta, a unção do altar e também das cruzes, o incenso, toda a ornamentação, tudo isto, faz lembrar que somos templos do Senhor, batizados e iluminados para ser luz no mundo.

A dedicação pode ser entendida também como consagração, sagração ou inauguração. Toda a igreja consagrada deve assumir um título que pode ser dedicado a Santíssima Trindade, a Jesus Cristo ou a Virgem Maria, tendo essas invocações intriduzidas na Sagrada Escritura, ou aos Santos Anjos e aos santos inscritos no Martirológico Romano, devidamente aprovado, não sendo aceito beato sem indulto da Sé Apostólica.

A celebração da dedicação foi uma bonita experiência para toda a comunidade paroquial, participaram muitos fieis, da matriz e das comunidades e junto do pároco, estiveram presentes o vigário, padre Maurício Coppi, LC, além dos padres Legionários: Fabio Guedes, Cleomar Ferronato, Antônio Dubena e Pierre Salabert. Prestigiaram também a festa os diáconos Jefferson Bartipaia, LC e Luiz Menezes.

 A Paróquia Santa Edwiges

A paróquia foi criada no dia 29 de novembro de 1998 no primeiro domingo do Advento por Dom Emílio Pignoli. Nasceu do desmembramento territorial de várias paróquias: São Luiz Gonzaga, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Providência, Santa Suzana, Nossa Senhora do Paraíso e São Pedro Fourier. O bairro onde se encontra a paróquia pertencia a São Luiz Gonzaga.

A paróquia abrange um território vasto, Vila Andrade, parte do Morumbi e Panamby, e é estimado que o número de habitantes chegue a 170 mil divididos em três comunidades, Santa Edwiges, Comunidade Nossa Senhora da Cabeça e Comunidade Capela Nossa Senhora de Guadalupe.      

Nas décadas de 80 e também 90, evangelizou a região o padre jesuíta Alfonso Rodrigues, que vinha visitar os doentes e também as pessoas carentes da região. A primeira pessoa a buscar um lugar para o culto a Deus foi a senhora Maria do Socorro, conhecida como dona Mariô, foi ela quem pediu uma audiência e foi falar com Dom Fernando Penteado, Bispo Auxiliar de São Paulo pedindo ajuda e autorização para a construção da igreja. Muitas festas e quermesses foram realizadas em prol da construção. A devoção a Santa Edwiges começou por influencia do bispo que pediu a dedicação a esta santa.

Passaram pela administração da paróquia entre 1998 e 2001 os padres Décio Foyagnoli e Josias Vieira Freitas, quando em dezembro de 2001 assumiu como primeiro pároco, Marco Antônio Schettini, permanecendo na paróquia até dezembro de 2012 quando o padre Cleomar Ferronato, LC, foi nomeado administrador paroquial até a chegada do padre Miguel Angel de La Torre em fevereiro de 2013.  A chegada do Padre Adilson aconteceu em Janeiro de 2015, mas ele só assumiu como pároco em Agosto de 2018.

A Igreja matriz como vemos hoje foi esforço de fé e amor de muitas almas, religiosos e leigos, que cofiaram na providência divina e ajudaram a tornar realidade este sonho da comunidade.

MG9409
MG9375
DSC0007
MG9324
DSC0012
MG9316
MG9298
DSC0108
MG9297
MG9282
MG9274
MG9253
DSC0124
DSC0088
DSC0018
DSC0137
DSC0139