fbpx

Paróquias se reinventam para evangelizar em tempo de pandemia

Redação | Sexta, 08 Maio 2020 15:07
Paróquias se reinventam para evangelizar em tempo de pandemia

O ambiente é muito conhecido, o que é incomum, são os bancos vazios e as poucas pessoas presentes na celebração das Santas Missas em tempo de pandemia. Foi preciso se reinventar para fazer chegar a Palavra de Deus aos fieis. Esta situação extraordinária que o País e o mundo vive pela propagação da pandemia da Covid-19, fez crescer o número das paróquias da Diocese de Campo Limpo que estão utilizando as redes sociais para transmissões on-line, não só da Santa Missa, mas como modo de evangelizar e ainda manter contato com os paroquianos.

Desde o dia 18 de março, quando um decreto do Bispo Diocesano, Dom Luiz Antônio Guedes, proibiu a missa de forma presencial, seguindo orientações dos serviços de saúde respeitando assim o isolamento social, agentes da Pastoral da Comunicação (Pascom) de 57 paróquias tem se desdobrado para fazer chegar a mensagem do Evangelho.

Celulares, computador e televisores passaram a ser o item essencial de conectividade para todo cristão católico. Domingo, dia essencialmente dedicado ao Senhor, e quando a grande maioria dos fieis católicos participam da Santa Missa, passou a ser dia de reunir a família no sofá e participar virtualmente da celebração.

“Às vezes assistíamos missas pelas emissoras católicas, mas eu gosto mesmo de ir com a família para a Igreja, enquanto não pode, sigo reunindo a família em volta do computador todos os domingos de manhã, não é a mesma coisa, mas ajuda”, revela Maria do Socorro dos Santos, Santuário Santa Terezinha, Forania Taboão da Serra.

Adaptação das paróquias

A adaptação a transmissões on-line exigiu criatividade nas formas de conectar o povo com a sua igreja e muitas paróquias tiveram que ‘a toque de caixa’ investir em material e apreender a utilizar as ferramentas que proporcionam a transmissão.

A Pastoral da Comunicação da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, forania Capão Redondo, está no meio de um processo de melhoria de suas transmissões com compra de novos equipamentos: “O número de seguidores em nossas redes sociais tem aumentando muito nesta pandemia, temos um grupo de pessoas comprometidas em levar diariamente a Palavra de Deus aos que estão em casa, muito em breve todos poderão acompanhar pelas redes sociais conteúdo produzido na paróquia e com qualidade mais profissional”, revela a coordenadora Lia Macedo.

A paróquia Nossa Senhora do Paraíso, forania Morumbi, está transmitindo, além das missas, a hora do terço, adoração e um momento com o grupo de jovens. A coordenadora Carina Gomes revela que mesmo aqueles que têm mais dificuldade com as tecnologias, se esforçam e aprendem para que a proximidade com os paroquianos seja possível: “Está sendo incrível esta experiência, entendemos que não substitui a missa presencial, mas o retorno das pessoas, que conseguem estar perto de Jesus, mesmo através da tela, nos faz insistir e tenho certeza estar mais fortalecidos no fim desta pandemia”.

Na Paróquia São José Operário, forania Campo Limpo, as transmissões que já eram uma realidade, ganhou para os membros responsáveis pela Pascom um novo sentido. “Em várias ocasiões escutei nosso pároco usar o termo Igreja Doméstica, explicando que não basta mantermos uma rotina de frequentar a igreja e as missas de domingo que é preciso transformar nosso lar e a união da nossa família em uma extensão da nossa paróquia. Hoje com a chegada dessa pandemia, o mundo inteiro teve que se adaptar e este sentido de Igreja doméstica ganhou força”, relata Gilberto Bombardi.

Eudes de Pádua, da Pascom da Paróquia São Francisco e Santo Estêvão, forania Campo Limpo, enfatiza que o papel da Pascom é extremamente importante no processo de evangelização na nova realidade pela qual estamos vivendo. “Desde o começo da pandemia nossos paroquianos têm acesso garantido às atividades paroquiais através dos meios eletrônicos, fizemos um grande esforço e estamos conseguindo atingir cada vez mais público”.

Andreia Santana, Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Monte Kemel, forania Morumbi, a adaptação foi e esta sendo bastante desafiadora: “Tínhamos dúvida quanto a fazer as transmissões, não tínhamos equipamentos, não sabíamos como fazer direito, mas era preciso contribuir com a evangelização, manter a interação com a comunidade, estar presente e, de fato, em comunhão mesmo que a distância”.

A nossa Pascom paroquial passou por momentos difíceis nesta adaptação e entre imagem, sons e cabos e muitas horas de estudo todos concordavam que era esse o caminho para as novas formas de comunicar em meio à pandemia: “No começo foi um sacrifício, mas não desistimos porque entendemos a importância disto tudo neste momento, em especial retornodos  paroquianos que, mesmo tendo tido no início prejuízos de imagem e som, se mantém firmes acompanhando as transmissões”, conclui Andreia.

A paróquia São Bento, forania Capão Redondo, passa pelo processo de implantação da Pascom em meio à pandemia e ainda assim tem conseguido transmitir as missas: “Começamos este processo um pouco antes da pandemia, a Pascom aqui é algo novo, estamos nos adaptando diariamente. O mais importante é contribuir através das nossas redes sociais para que o Evangelho chegue aos corações”, revela Fillipe Augustus de Jesus, coordenador da Pascom.

Padres nas redes

Em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus e com o isolamento em casa, as redes sociais estão ainda mais movimentadas e é possível encontrar conforto e esperança para enfrentar a crise causada pela doença.  Depois da suspensão das missas, como medida de prevenção para evitar a propagação do coranavírus, os padres ficam cada vez mais online para atender os fiéis.

Alguns estão se adaptando, outros já estão acostumados, mas todos concordam que o movimento nas redes sociais é grande e surpreende. Para o padre Alessandro Carvalho de Faria, Paróquia São Francisco e Santo Estêvão, foi muito difícil o momento da suspensão das missas: “ É para o bem, mas eu não fui preparado para  celebrar sem olhar para as pessoas, olhando para uma câmera, entretanto, sou grato a Deus por despertar na minha paróquia pessoas que suprem a minha falta de jeito em lhe dar com as novas tecnologias”.

Impactante, essa foi à palavra usada pelo padre Francisco Glênio de Almeida, Paróquia São José Operário, forania Campo Limpo, para traduzir a adaptação ao atual momento: “Estava acostumado com muitas missas no final de semana cheias de gente e de repente ter que olhar para uma câmera, assusta é impactante, mas hoje, passados tantos dias de isolamento social já estou melhor e inclusive conseguimos obter novas ferramentas para transmissões simultâneas, depois desta pandemia acharemos outros meios de evangelizar como estamos achamos para agora”.

Padre Rodolfo Camarotta, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, já usava a internet para refletir o evangelho, mas não com tanta frequência, se adaptando a estes novos tempos, está todos os dias está ao vivo: “Através das redes sociais temos construído sem dúvida uma verdadeira comunidade virtual, muito próxima e presente, eu tenho percebido uma proximidade grande das pessoas, através dos testemunhos que recebo do aumento gradativo das pessoas que nos acompanham. Além disso, essa reinvenção alcançou novas pessoas e nos fez sem dúvida olhar as ‘lives’ como forma de evangelização. Nesse período de isolamento e impossibilidade de os fiéis participarem da eucaristia essa forma online de fato nos aproxima”.

Diante dessa realidade desafiadora, muitos exemplos concretos de evangelização. São vários novos conteúdos, formações, momentos de oração, todos buscando ser sinal de fé e vozes da esperança até que o período de isolamento social acabe e nossas Igrejas sejam enfim reabertas.

So-Francisco-e-Santo-Estevo-Alessandro-Carvalho-de-Faria
Nossa-Senhora-do-Carmo1
Rodolfo-Camarotta
So-Bento-Lucio-Alves