fbpx

Na Solenidade de São João Batista, padre Lulinha, recuperado do Covid-19, assume a Paróquia Nossa Senhora da Esperança

Com os passos ainda lentos, mas firmes, padre José Wilson de Souza, conhecido como padre Lulinha, entrou pela porta da matriz da Paróquia Nossa Senhora da Esperança, na Solenidade da Natividade de São João Batista (24), para assumir o ofício de pároco e celebrar sua recuperação milagrosa do Covid-19.

Redação | Sexta, 25 Junho 2021 17:08
Na Solenidade de São João Batista, padre Lulinha, recuperado do Covid-19, assume a Paróquia Nossa Senhora da Esperança Andrea Rodrigues

Na Solenidade da Natividade de São João Batista (24), o padre José Wilson de Souza, foi empossado por Dom Luiz Antônio Guedes, bispo diocesano, como pároco na Paróquia Nossa Senhora da Esperança, Forania M’Boi Mirim.

Ainda com suas mobilidades reduzidas, pelo grave forma do coronavírus que adquiriu no mês de março, chegou para a cerimônia de andador, mas com um largo sorriso no rosto, perceptível mesmo com o uso das duas máscaras que usa para sua proteção: “Essa doença é muito séria, peço encarecidamente que usem máscaras, mesmo vacinados e não esqueçam a limpeza constante das mãos”, relata em forma de pedido o novo pároco.

A celebração, escolhida para este dia, não por acaso, teve também o intuito de celebrar os 14 anos de sacerdócio do padre Wilson, mas também de mais sete clérigos, que junto com ele, presencialmente, como os padres: Laerte Soares Rosa, paróquia Santa Edwiges e São Miguel Arcanjo, da mesma forania e Fausto dos Santos Oliveira, paróquia São Judas, forania Campo Limpo -  ou unidos em oração, festejaram tão importante momento: “Hoje tive a oportunidade de ligar para todos os aniversariantes de ordenação e também de estar junto com aquele que os ordenou, Dom Emilio Pignoli, que completa também neste dia 45 anos de ordenação presbiteral”, mencionou Dom Luiz logo no início, enfatizando o pedido de oração por todos.

Usando um andador, pela paralisia que ainda existe em sua perna direita, fez questão de em muitos momentos ficar de pé e seu discurso sempre de esperança causou comoção nos participantes. O rito de posse teve adaptações em seus momentos para o melhor conforto do pároco. Ao entrar pelo corredor central, ajudado pelo diácono Wellington Calixto, a comunidade saldou seu novo pastor em pé com uma salva de palmas.  

Ao fazer o seu juramento, com voz embargada, diante dos fiéis, agradeceu o carinho e prometeu caminhar, se Deus quiser, a passos largos, com os trabalhos pastorais. Dom Luiz aproveitou este momento e explicou para a comunidade e todos os que assistiam ao vivo pelas redes sociais da paróquia o significado do juramento e aproveitou para pedir que a comunidade também acolha e cuide do seu pastor. “Hoje o padre José Wilson toma posse e promete exercer a missão de ser o pároco aqui em comunhão com a Igreja, mas também, a comunidade pode e deve do seu pastor”, salientou o bispo.

Com uma procissão os paroquianos entregaram para o padre Lulinha a estola roxa, usada nas confissões, livro de tombo, um mapa do território paroquial, as chaves da igreja e do sacrário e a Evageliário, símbolos que marcam o trabalho pastoral.

Em sua homilia, o bispo, falou sobre o importante papel de João Batista, o precursor, e fez uma analogia sobre a missão de João e dos padres na atualidade: “João, foi aquele que preparou os caminhos para Jesus, ele pregou sobre o Messias, ele alertou todos sobre a conversão. Nós, posteriores ao Mestre, também pregamos sobre o Reino e o mostramos o caminho, não no sentido de sermos ‘maiores’, mas de mostrar a direção e apontar o caminho que Deus. Deixamos o caminho preparado, mas é Jesus quem conquista, recebe e acolhe”.

Dom Luiz ainda mencionou sobre a alegria de poder empossar o padre Wilson e relatou que em suas orações ‘pressionou’ Deus - o que causou risos na assembleia - para que Ele devolvesse este seu filho para nossa diocese. “Eu rezei e até pressionei Deus, pedindo com insistência para que ele salvasse a vida do padre Wilson, eu jamais havia rezado desta forma, mas na vivência deste momento me peguei sim pressionando Deus, depois pedi até desculpas. Sei que ele se recuperou, não pelos meus méritos, mas pela oração de todos nós e com a Graça de Deus, hoje agradecemos por Ele ter ouvido as nossas suplicas”.

No final da Santa Missa, Regina, representante da comunidade, deu as boas vindas ao novo pároco e agradeceu todo o empenho do Monsenhor Luis Carlos Parede, que já estava à frente da paróquia há cinco anos e agora segue sua missão na Paróquia Santos Mártires, na mesma forania.  

Participaram também da celebração, além dos dois já citados, os padres Bruno Rodrigues Toledo, Edilson Marcos Lima dos Santos e Renato Augusto Trampellini, que emocionado pediu a palavra para agradecer pela vida do amigo, mas, mais que isso, para ressaltar o quanto a preocupação com um membro do clero uniu todos em orações: “Nós rezamos muito, pedimos a Deus que nos devolvesse você, não foi fácil saber que você estava em uma situação de quase morte. De certa forma sua doença nos uniu e nos fez ter esperança, não é por acaso à paróquia Nossa Senhora da Esperança te receber hoje”, discursou.

2
10
11
19
29
33
47
50
56
renato

Covid-19

Aos 44 anos, o jovem padre José Wilson de Souza, ordenado há 14 anos vivenciou uma das formas mais graves da Covid-19. Em meados de março, depois de um mal estar e de teste positivo para o coronavírus precisou de internação hospitalar. Complicações no seu quadro o levaram há ficar 21 dias entubado em um total de 40 dias de internação. Foram mais de cem dias entre internação e voltar a celebrar a Eucaristia na igreja.

“Quando sai do coma, eu acompanhava as celebrações e orações pela televisão e isso, aliado as orações de católicos, evangélicos e pedidos de muitos que não professam uma religião, me deu força. Eu acordei no Domingo de Páscoa, eu vivi a Ressurreição do Cristo naquele domingo, mas também a minha, eu estava morto, mas voltei a viver. Assumo hoje essa paróquia com a responsabilidade de cuidar como pai desta porção do povo de Deus, mas quero também que eles cuidem de mim, cuidado uns dos outros, assumiremos o papel de verdadeiros discípulos de Cristo aqui na Terra”, padre José Wilson.