fbpx

Com participação expressiva, Diocese de Campo Limpo celebra abertura da fase diocesana do Sínodo

Celebração marca abertura do processo sinodal e primeira grande concentração da Igreja diocesana no período da pandemia.

Por | Quarta, 20 Outubro 2021 16:34
Com participação expressiva, Diocese de Campo Limpo celebra abertura da fase diocesana do Sínodo Marcus Simi

No último domingo, 17 de outubro, ao canto de “Agora é tempo de ser igreja, caminhar juntos, participar” a Diocese de Campo Limpo (SP) iniciou a Missa que marcou a abertura da fase diocesana do Sínodo 2021-2023 convocado pelo Papa Francisco. A celebração aconteceu na Catedral Sagrada Família sob a presidência de Dom Luiz Antônio Guedes, bispo diocesano.

A missa contou com uma expressiva participação de fiéis das diversas paróquias e movimentos da Diocese. Agradecido, Dom Luiz manifestou sua gratidão pela resposta à convocação que foi enviada às comunidades paroquiais. Antes do início da Missa um primeiro vídeo explicativo sobre o Sínodo foi exibido na Catedral com o propósito de ser passar aos fiéis o sentido de sinodalidade proposta pelo Papa Francisco.

Durante a homilia, o bispo diocesano apresentou três pontos encontrados nas leituras proclamadas durante a Missa e sua relação com o Sínodo: a Palavra de Deus, o Espírito Santo e a Igreja. “Menciono Jesus como o modelo para nós vivenciarmos aquilo que o Sínodo está nos propondo: escutar. E poderíamos completar o escutar com o enxergar, o contemplar”, estimulou o bispo, que também indicou que cada um deve amar profundamente a Igreja, sabendo valorizar os dons que cada membro possui: “nós somos muitos, não somos todos iguais, temos qualidades próprias recebidas pela graça de Deus. Devemos ter a oportunidade de colocá-las a serviço da comunidade. E devemos reconhecer que os demais também têm dons, qualidades que estão presentes em cada um para serem colocadas em comum para edificar a comunidade eclesial, a Igreja, que está presente, seja na nossa diocese, seja no mundo inteiro”.

Árvore Sinodal

Chamou a atenção, ao longo da Missa, uma bela árvore portando em seus galhos lamparinas, estando em seu topo o livro da Sagrada Escritura. Como o processo sinodal pressupõe um caminho de comunhão e discernimento à luz do Espírito Santo, as 110 lamparinas foram levadas pelos delegados paroquiais às suas comunidades como um sinal de que a Igreja local está unida a toda a Igreja neste momento de escuta atenta, mas também de profunda comunhão. Durante a Missa, antes da Liturgia da Palavra, alguns leigos e padres, acompanhados do Bispo, puderam acender as lamparinas.

A chama das lamparinas recorda tanto o Espírito Santo, como a comunhão que deve pautar todo o caminho a ser percorrido. Cada comunidade paroquial deverá colocar a lamparina em um lugar de destaque, como sinal da sinodalidade que a Igreja está vivendo.

Equipe Sinodal

A equipe sinodal diocesana, composta por seis leigos e seis padres, foi apresentada ao final da celebração. Esta equipe tem trabalhado para que o processo de escuta na diocese atinja o objetivo proposto pelo Sínodo: escutar a todos, sem exceção, mesmo aqueles que se encontram afastados. Muitos devem ser os esforços até o mês de março de 2022: proporcionar formações e métodos para as comunidades paroquiais realizarem a escuta, criar meios acessíveis e descomplicados visando a participação de todos, bem como animar todas as realidades eclesiais a caminharem juntas na etapa diocesana do Sínodo.

Os nomes que compõem a Equipe são:

  • Marcos Joaquim Patrício – coordenador da comissão;
  • Cesar Silva Rossi;
  • Lucca Vitali;
  • Rodolfo Camarotta Costa;
  • Rodrigo Antonio da Silva;
  • Sandro Ely de Oliveira;
  • André Forte Abreu;
  • Andrea Rodrigues dos Santos;
  • Cinthia Correia;
  • Raylson de Araújo Gomes;
  • Rosana Alves Mancini;
  • Sheyla Leite Alves de Oliveira.

Iluminados pela Palavra e fortalecidos pela Eucaristia, ao final todos recitaram a oração pelo Sínodo: Adsumus Sancte Spiritus, com o propósito de repeti-la sempre ao longo do caminho sinodal.

É possível rever a Missa aqui.